Blog

B3 (B3SA3) lança lista de empresas em prol da economia verde

A B3 (B3SA3), operadora da bolsa de valores brasileira, lançou nesta terça-feira (7) a designação de Ações Verdes. A classificação tem o objetivo de destacar as empresas que contribuem para a economia verde.

Inédita na América Latina, a iniciativa da bolsa de valores está liberada para as companhias que solicitarem o “selo”.

Para ser considerada um Ação Verde, a empresa precisa que mais de 50% da sua receita bruta anual proveniente de atividades consideradas verdes, mais de 50% dos investimentos e despesas operacionais anuais destinados a atividades neste segmento e menos de 5% da receita bruta anual derivada de combustíveis fósseis.

Iniciativa Ações Verdes da B3 (B3SA3)

A designação da B3 faz parte de uma estratégia para que o mercado de capitais brasileiro esteja cada vez mais inserido no movimento internacional de incentivo a práticas Ambientais, Sociais e de Governança Corporativa (ASG), do inglês ESG.

A iniciativa tem a intenção de dar maior visibilidade ao compromisso das empresas com práticas da economia verde com transparência aos investidores sobre a origem das receitas e direcionamento dos investimentos das empresas participantes.

A metodologia do projeto foi baseada nos Green Equities Principles, lançado em 2023 pela World Federation of Exchanges (WFE), federação mundial de bolsas que apoia o desenvolvimento do mercado de capitais por meio de estudos e diretrizes para a elaboração de normativos.

“A decisão da B3 em criar a designação de ações verdes está alinhada com o propósito da companhia de conduzir o desenvolvimento econômico sustentável”, explica Cesar Sanches, superintendente de sustentabilidade da B3.

A identificação especial poderá ser usada pelos gestores como ferramenta de reputação e planejamento dos investimentos das companhias, enquanto os investidores terão mais um mecanismo para obter informações para apoiar decisões, mitigar riscos e diversificar o portfólio, comenta Sanches.

Para ser considerada uma ação verde, a empresa precisará passar por uma avaliação por uma entidade avaliadora, credenciada pela B3SA3, com atualizações anuais.

Empresas aprovadas terão um ícone oficial B3 Ações Verdes atrelado aos seus ativos.

Demanda por investimentos verdes está crescendo, diz presidente da CVM

“A demanda por investimentos responsáveis e alinhados com critérios de sustentabilidade é uma realidade. Eu tenho a certeza de que o Mercado de Capitais brasileiro tem condições de ser um dos grandes protagonistas mundiais na Agenda Verde e na pauta das Finanças Sustentáveis,” afirma João Pedro Nascimento, Presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A designação Ações verdes não é o primeiro produto ESG da B3. O leque de opções é composto também pelo Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3), Índice Carbono Eficiente (ICO2 B3), títulos temáticos ESG e Crédito de Descarbonização (CBIO) e mais.

“Os princípios e orientações da WFE Green Equity foram lançados em 2023 para ajudar a melhorar o fluxo de financiamento para economias mais sustentáveis, além de combater o greenwashing,” conta o CEO da WFE, Nandini Sukumar.

Segundo o executivo, bolsas de valores ao redor do mundo estão liderando o setor financeiro no direcionamento de capital para investimentos verdes e “a B3 está na vanguarda como uma das primeiras a adotar essa designação”, destaca Sakumar.

Fonte: SUNO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *