Blog

10 cidades inteligentes que serão construídas ao redor do mundo

O futuro já está sendo planejado… pelo menos para a construção destas 10 cidades futuristas que em breve você poderá conhecer. Confira quais são elas

Quando falamos sobre o futuro, várias incertezas pairam sobre ele. O que podemos esperar é uma evolução de várias questões que se mostram presentes nos dias de hoje, como a sustentabilidade, por exemplo

Se você é daqueles curiosos que deseja saber o que o futuro reserva, nós temos um spoiler – quer dizer, pelo menos em relação às novas construções. Listamos abaixo 10 cidades inteligentes com os projetos mais ambiciosos que estão sendo construídos ao redor do mundo. Confira!

The Line, Arábia Saudita

(Neom/CASACOR)

O governo da Arábia Saudita revelou imagens do projeto de uma cidade com 170 quilômetros de comprimento e 500 metros de altura planejada pelo escritório de arquitetura Neom.

O local poderá receber uma média populacional de 9 milhões de pessoas (só para se ter ideia, São Paulo – que é considerada uma grande metrópole – conta com 12 milhões), que se dividirão em uma cidade linear com apenas 200 metros de largura. A proposta para facilitar o deslocamento é contar com um transporte que irá conectar as duas extremidades em 20 minutos.

A cidade foi projetada como uma alternativa ao tradicional layout urbano circular, com o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman divulgando-a como “um modelo para preservação da natureza e maior e maior habitabilidade humana”.

Telosa, Estados Unidos

(BIG/CASACOR)

O arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels e seu estúdio BIG estão planejando a construção de Telosa, uma cidade de cinco milhões de habitantes que será construída do zero em um dos deserto dos EUA – o local exato ainda não foi revelado.

O projeto é ideia do empresário bilionário Marc Lore, que espera que ela se torne “a cidade mais sustentável do mundo“.

BiodiverCity, Malásia

(BIG/CASACOR)

Outra cidade que está sendo construída pelo escritório BIG carrega o propósito sustentável no próprio nome. Serão mais de 1.800 hectares divididos em três ilhas artificias construídas na costa da ilha de Penang, na Malásia, para o governo estadual.

A expectativa do governo é que cada uma das ilhas seja capaz de abrigar entre 15 mil e 18 mil habitantes.

Os edifícios serão construídos principalmente usando uma combinação de bambu, madeira e concreto produzidos a partir de materiais reciclados, com uma proteção ecológica ao redor de cada distrito para apoiar a biodiversidade.

Nova Capital Administrativa, Egito

(SOM/CASACOR)

O Egito está construindo uma capital totalmente nova que vai abrigar até 7 milhões de pessoas. O objetivo principal é aliviar o congestionamento no Cairo, atual capital do país que está em rápido crescimento.

A empresa de arquitetura SOM produziu um masterplan para o projeto de financiamento privado, que cobrirá 700 quilômetros quadrados e contará com um dos maiores parques urbanos do mundo.

Amaravati, Índia

(Foster + Partners/CASACOR)

Situada às margens do rio Krishna, a cidade de Amaravati será a nova capital do estado de Andhra Pradesh, na Índia.

Ele será organizado em torno de um prédio do governo com topo de agulha e contará com mais de 60% de toda a área central ocupada por vegetação ou água.

“O projeto reúne nossa pesquisa de décadas em cidades sustentáveis, incorporando as mais recentes tecnologias que estão sendo desenvolvidas atualmente na Índia”, disse o escritório à frente do projeto, Foster + Partners.

Smart Forest City, México

(Stefano Boeri Architetti/CASACOR)

Mais uma ideia sustentável é o projeto do arquiteto Stefano Boeri, que está trabalhando em uma verdadeira floresta inteligente próximo da badalada Cancun.

A cidade deverá contar com mais de 7,5 milhões de plantas e árvores para fazer a absorção de carbono dos 557 hectares.

“Smart Forest City Cancun é um jardim botânico dentro de uma cidade contemporânea, baseado na herança maia e em sua relação com o mundo natural e sagrado”, disse o estúdio de Boeri.

O projeto da cidade está sendo pensado para abrigar 130 mil pessoas em casas acessíveis e cobertas de plantas e visa ser pioneira em uma forma mais sustentável de vida na cidade.

The Orbit, Canadá

(Norm Li/CASACOR)

Outra cidade inteligente e com foco no meio ambiente é a The Orbit, uma colônia que pretende se transformar uma cidade agrícola do Canadá por meio de tecnologia como fibra óptica, drones e veículos autônomos.

A empresa de Toronto Partisans descreveu seu projeto como uma versão moderna do movimento da cidade-jardim que surgiu no Reino Unido no início do século 20. O objetivo é equilibrar as novas tecnologias com o cenário agrário.

Maldivas Floating City, Maldivas

(Waterstudio/CASACOR)

As famosas e paradisíacas Ilhas Maldivas precisam de ajuda para conter os impactos negativos que as mudanças climáticas causam no nível do mar. Acredita-se que boa parte das Maldivas deverá ser inabitável até 2050, e foi por isso que o governo do país fez uma parceria com a Waterstudio.

A ideia é projetar uma cidade flutuante que abrigue 20 mil pessoas em uma lagoa perto da capital nos próximos dois anos.

Anunciado pelos arquitetos como “a primeira verdadeira cidade-ilha flutuante do mundo”, o projeto incluirá 5.000 casas flutuantes baixas e será construído em uma série de estruturas hexagonais que se elevam com o mar.

Chengdu Future City, China

(OMA/CASACOR)

Os arquitetos da OMA, empresa holandesa, idealizam uma cidade sem carros para a capital da província de Sichuan. Ousado, o plano tem o objetivo de desafiar o modelo atual de urbanização que são sempre pautados em rodoviárias e maximização de área bruta.

Definida para ocupar um local de 4,6 quilômetros quadrados, a Chengdu Future City se concentrará na topografia ondulada da terra, com seis zonas distintas projetadas para se misturar com a paisagem circundante.

Todos os edifícios dentro de cada zona serão acessíveis a pé em 10 minutos, enquanto uma “rede de mobilidade inteligente” disponibilizará veículos automatizados para conectar a cidade ao resto de Chengdu.

Innovation Park, Estados Unidos

(Ehrlich Yanai Rhee Chaney Architects e Tom Wiscombe Architecture/CASACOR)

O magnata das criptomoedas Jeffrey Berns decidiu levar a tecnologia dos criptoativos, blockchain, para transformar parte do deserto de Nevada em uma cidade inteligente.

Com a ajuda dos estúdios de arquitetura Ehrlich Yanai Rhee Chaney Architects e Tom Wiscombe Architecture, ele pretende transformar o terreno de 27.113 hectares em uma comunidade onde as pessoas podem depositar, votar e armazenar dados sem o envolvimento de governos ou terceiros.

Fonte: Casa Cor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *